Publicado em: sexta-feira, 01/08/2014

Executiva estadual do PT decide expulsar o deputado Luiz Moura do partido

Executiva estadual do PT decide expulsar o deputado Luiz Moura do partidoNessa quinta-feira (31), a executiva estadual do Partido dos Trabalhadores tomou a decisão de expulsar o deputado estadual Luiz Moura (PT-SP) da legenda. O deputado é suspeito de ter se envolvido com facções criminosas em São Paulo desde março, época em que ele foi visto pela polícia em uma reunião com possíveis criminosos. Essa decisão ainda não foi repassada pelo diretório estadual do partido. De acordo com o presidente do PT em São Paulo, Emídio de Souza, todos consentiram em expulsar o acusado.

Nessa sexta-feira (1), o diretório que tem o poder de expulsar realmente Moura do partido, irá se reunir para decidir como ficará a situação, segundo o presidente do partido, Moura teve total direito a defesa. Ele afirma que o deputado foi chamado para a reunião que foi responsável pela decisão, no dia 18 foi enviado uma notificação e dado dez dias para que ele apresentasse a documentação e testemunha.

Enquanto foi feita a reunião, ele teria direito de levar oito testemunhas, contudo, não levou nenhuma e não esteve presente. O presidente do diretório estadual, ressaltou que o fator que levou a essa decisão, foi o dano causado a imagem do PT em razão de todas as delações e também por concluir que ele atuou contra o partido, trazendo desestabilidade em toda a coligação.

Liminar

Ainda no início desse mês foi concedido a Moura uma liminar que anulava a convenção estadual do partido em que ele não poderia participar porque havia sido deixado de fora, entretanto, essa liminar foi anulada, mas se caso ela tivesse continuado em vigor, traria sérias consequências que resultariam no fim das candidaturas estaduais do PT, e nesse meio estaria incluso: Alexandre Padilha, candidato ao governo do estado, e de Eduardo Suplicy, que está na disputa pela reeleição no Senado.