Publicado em: sexta-feira, 16/12/2011

Excesso de chuva abre buraco e predio pode desabar em Belo Horizonte

Nesta quinta-feira, dia 15 de dezembro, um prédio composto por 42 apartamentos localizado em Belo Horizonte, Mina Gerais, foi desocupado. Isso porque a quebra de uma condutora de água aliada com as intensas chuvas na revisão abriu uma cratera de sete metros de profundidade e quadro metro de largura. As pilastras que sustentam o muro da edificação não aguentaram e cederam.

De acordo com a Defesa Civil, o prédio corre o risco de desabar, pois a previsão é de que as chuvas permaneçam intensas no mínimo até o domingo. O quarteirão onde o prédio está localizado, das ruas Américo Macedo e Almirante Alecandrino, está interditado. As fortes chuvas inundaram a garagem da edificação e os apartamentos do térreo. Além disso, a lama atingiu um metro de altura nos corredores onde está a portaria.

Antes de saírem de seus apartamentos e salvarem alguns dos móveis e pertences, os moradores tentaram tirar toda a lama do prédio. Um dos moradores, Dário José de Oliveira, disse que teve de socorrer o pai, que é deficiente físico. Ele conta que o barro entrou pela janela e todos saíram correndo o mais rápido possível do local.

Na região norte de Belo Horizonte, aproximadamente 200 casas inundaram depois do transbordamento do Córrego do Onça. A avenida Cristiano Machado, via que dá acesso ao Aeroporto Internacional de Confins, ficou o dia todo interditada e, durante a noite, os moradores protestaram queimando pneus na avenida. A Prefeitura Municipal teve de usar 134 agentes da limpeza para desobstrução da via.