Publicado em: quarta-feira, 13/06/2012

Ex-presidente da Tunísia é condenado a 20 anos de prisão

Nesta quarta-feira (13), a corte militar condenou o ex-presidente da Tunísia, Zine al-Abidine Ben Ali, a passar 20 anos na cadeia. A condenação foi dada decido a acusação de que o presidente deposto teria incitado furtos e assassinatos em uma tentativa da polícia para a retirada de seu sobrinho do país no ano passado.

A acusação envolve o assassinato de quatro pessoas, que receberam tiros da polícia em Wardanein. Os manifestantes foram baleados quando tentavam impedir que Qais Ben Ali conseguisse fugir do país em 15 de janeiro do ano passado. Um dia depois do crime, o ex-presidente deixou a Tunísia. Atualmente, Qais Ben Ali está preso no país.

Condenações

De acordo com informações da agência de notícias oficial TAP, além do presidente deposto, vários de seus assessores também foram condenados de cindo a dez anos de detenção. Zine al-Abidine Ben Ali já tinha sido condenado a passar anos na cadeia devido a torturas cometidas. Ele fugiu para a Arábia Saudita em meio aos protestos em seu país.

Em maio, um promotor militar queria que o ex-presidente fosse condenado a pena de morta por sua atitude no assassinato dos manifestantes. No entanto, o governo saudita não deverá extraditar o presidente. Enquanto isso, governo tunisiano sofre com as críticas por não conseguir que a Arábia Saudita entregue o ex-presidente e sua esposa.