Publicado em: quarta-feira, 28/03/2012

Ex-integrante de Legião Urbana vive há cinco anos como morador de rua

Uma revelação surpreendeu muita gente no final de semana. Um programa semanal da rede Record encontrou o ex-baixista da banda brasileira Legião Urbana: Renato Rocha. Ele também era conhecido como Billy ou Negreti. Apesar do sucesso da banda, com a venda de 20 milhões de cópias dos discos, Renato Rocha vive hoje uma situação complicada.

Negreti vive há cinco anos como morador de rua. Ele foi expulso da banda no ano de 1989 e desde então sua vida se transformou. Apesar de ter declarado ao programa da Rede Record que não é usuário de drogas, fazendo uso apenas de calmantes, no ano de 2002 ele havia declarado ao Jornal Zero Hora ser dependente químico.

O baixista teria sido expulso da banda por sua falta de compromisso, sempre chegando atraso e até mesmo faltando aos ensaios. A situação ficou insustentável e os outros integrantes não tiveram escolha.

Negreti ainda recebe dinheiros dos direitos autorais de músicas lançadas no período em que fazia parte da banda, mas afirma que o valor é muito pouco, obrigando-o a viver pelas ruas da cidade do Rio de Janeiro. A reportagem mostrava Renato vivendo nas ruas, próximo as outras pessoas nas mesmas condições.

Soluções

A emissora também tentou contatar o pai de Renato Rocha, o senhor Sebastião Rocha, que vive em Brasília. O pai do músico alegou não ter tido contato com o filho pelos últimos dez anos. Sobre a situação que Negreti vem enfrentando, o pai respondeu com certeza que se deve ao abuso de drogas.

O baixista Renato Rocha integrou a Legião Urbana no ano de 1984, mesma época que a banda assinou contrato com a gravadora EMI. A entrada se deu devido a um acidente com Renato Russo, que havia cortado e braço e não poderia tocar por um período. Renato Rocha era conhecido do baterista da banda, Marcelo Bonfá, e acabou ingressando na banda. Juntamente com o vocalista, Negreti compôs músicas famosas até hoje, como a “Quase sem querer” e “Daniel na cova dos leões”.