Publicado em: quinta-feira, 13/08/2009

Ex-general argentino é condenado à prisão perpétua por crime durante ditadura

Santiago Omar Riveros, 86, ex-general comandante do Campo de Mayo, considerado um dos maiores centros de extermínio da última ditadura argentina (1976-83), foi condenado nesta quarta-feira (12) à prisão perpétua.

Riveros foi considerado culpado pelo assassinato de Floreal Avellaneda, de 15 anos, e pelo sequestro da mãe do jovem, Iris Avellaneda.

Segundo denúncias, os militares prenderam os dois para localizar o pai do jovem, que era comunista. Floreal foi torturado e empalado pelos militares que estavam sob comando do ex-general no Campo de Mayo, na periferia de Buenos Aires. Passaram por esse local cerca de 5 mil prisioneiros na época da ditadura.

O tribunal também condenou outros quatro acusados pela morte de Floreal que receberam penas de entre oito e 18 anos de prisão. Fernando Verplaetsen, ex-chefe da Inteligência do Comando de Institutos Militares e ex-chefe da Polícia de Buenos Aires, foi condenado a 25 anos de prisão.