Publicado em: quinta-feira, 09/08/2012

Ex de Cachoeira nega envolvimento, mas vai ter sigilo quebrado

Ex de Cachoeira nega envolvimento, mas vai ter sigilo quebradoO senador Randolfe Rodrigues disse que vai protocolar hoje (9) um requerimento que pede a quebra de sigilo fiscal e bancário da Andréa Aprígio, que é ex-esposa de Cachoeira. Segundo ele, o requerimento será protocolado na secretaria da CPI onde estão sendo investigadas as relações do bicheiro com parlamentares e empresários.

Andréa aceitou depor na CPI desde que seja em sessão secreta. Na sessão aberta ela afirmou que não tem envolvimento algum com quaisquer esquemas criminosos que seu ex-marido é acusado. Mas, como faltaram respostas nos questionamentos, ela passou de testemunha para investigada. Ela fez uma exposição inicial, mesmo tento em mãos um habeas corpus que lhe garantia o direito de permanecer em silêncio, e depois ela pediu o direito de não responder nada do que lhe fosse perguntado. Ela pediu para que fosse a portas fechadas para que não houvesse exposição pública e desgaste pela mídia.

O relator da comissão Odair Cunha (PT –MG) disse que o silêncio de Andréa apenas reforça as suspeitas de ligação do contraventor com a organização criminosa, e ainda afirmou que o bicheiro usava a mulher para ocultar bens e que se não soubesse de nada não sairia da CPMI como investigada ao invés de testemunha. Ela não quis prestar esclarecimentos sobre um empréstimo de R% 1,9 milhão que Cachoeira fez á ela em 2010. O deputado ressaltou o fato de Andréa ter um cartão conjunto com bicheiro mesmo depois da separação e que qualquer empréstimo deve ser desconfiado. Outra pergunta que ficou sem resposta foi sobre um contrato de compra e venda da casa do irmão de Andréa. O documento previa a transferência de R$ 5,3 milhões para seu nome.

O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) disse que se ela se cala diante de perguntas do cotidiano ela se torna uma testemunha muito suspeita e que o silêncio dela é revelador e seu cúmplice. O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) acredita que essa sessão secreta não ajudou em nada no andamento das investigações e que não é justificável uma sessão secreta para que ela ficasse em silêncio.