Publicado em: quarta-feira, 28/03/2012

Ex-baixista da banda Legião Urbana vira morador de rua

Renato Rocha se tornou conhecido em todo o Brasil por ser baixista de uma das bandas de rock mais importante do país, o Legião Urbana. Porém, uma reportagem mostrada pelo programa “Domingo Espetacular” no dia 25, pela Record, mostrou que o músico está vivendo como morador de rua, por causa de problemas com dependência química.

Rocha era integrante da formação original do Legião Urbana e fez parte da produção dos álbuns “Legião Urbana” de 1985, “Dois” de 1986 e “Que País É Esse” de 1987. Marcelo Bonfá, ex-baterista da banda, e Dado Villa Lobos usaram o Twitter para se defender de críticas e acusações de terem abandonado o ex-colega.

Bonfá esclareceu através do microblog que o grupo sempre tentou ajudar Rocha, desde os tempos em que ele era integrante da banda. Já na reportagem foi exibido arquivo em que Villa Lobos explica que o baixista saiu do “Legião Urbana por seu muito louco, perdendo ou chegando atrasado em ensaios e vôos”.

Rocha, que assina sucessos consagrados como “Quase Sem Querer”, “Mais do Mesmo” e “Ainda É Cedo”, diz que não recebe direitos autorais desde 2002 e questiona como ele pode se tornar morador de rua sendo um dos autores que álbuns que venderam mais de 12 milhões de cópias.

A matéria mostrou ainda que Rocha teria direito a R$ 110 mil arrecadados apenas com os direitos autorais nos últimos 10 anos. O pai de Rocha, que é advogado, diz que pretende ajudar o filho a superar os problemas relacionados com as drogas. O músico já foi casado e é pai de dois filhos.