Publicado em: segunda-feira, 02/06/2014

EUA obtêm fotos pessoais espionando mensagens, diz jornal

EUA obtêm fotos pessoais espionando mensagens, diz jornalAs denúncias de espionagem pela Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos não param, de acordo com o jornal norte-americano “The New York Times” no último domingo (1), a agência intercepta fotos pessoais de milhões de pessoas em todo o mundo e as utiliza em programas de reconhecimento facial.

Segundo os relatórios divulgados pelo jornal, a NSA utiliza todas as fotos para identificar possíveis terroristas em território norte-americano, tais como alvos do governo dos Estados Unidos. Sabe-se, inclusive, que as fotos são obtidas através de troca online, ou seja, através de redes sociais e mensagens instantâneas. Além disso, é realizada uma coleta de impressões digitais e de outras formas de identificação que podem ajudar a encontrar criminosos.

O jornal afirma que os programas não só analisam, mas também baixam as imagens para um servidor da própria agencia de espionagem. Estima-se que diariamente sejam interceptadas cerca de 55 mil fotografias através de softwares os quais são desenvolvidos pelo governo dos EUA e que, por meio de espionagem, adquirem imagens via SMS, Facebook e Skype, por exemplo. O acesso às informações foi dado pelo ex-analista da NSA, o norte-americano Edward Snowden que desde o ano passado tem morado na Rússia.

Nos textos contidos nos documentos, uma fonte de do governo dos Estados Unidos afirma que não estão apenas fazendo a intercepção através das comunicações tradicionais (computador, telefone, carta, etc), mas de outras formas, inclusive as contas de e-mail a fim de encontrar pistas que levem a potenciais terroristas.

O que tem sido deixado claro é que a espionagem sempre existiu, no entanto, foi intensificada no governo do democrata Barack Obama. O que não ficou claro é a utilização de imagem de pessoas que entram no país e que as fotos dos passaportes também são interceptadas. Sabe-se, porém, que os Estados Unidos têm investido bilhões em softwares que possam realizar tais leituras.