Publicado em: quinta-feira, 15/03/2012

EUA decidem não sobretaxar suco de laranja brasileiro

Os EUA recebem cerca de 13% do suco de laranja exportado pelo Brasil e para melhorar a relação entre os dois países, o governo norte-americano decidiu não sobretaxar mais o produto. O anuncio foi feito ontem (14) e o país não deverá mais cobrar a taxa antidumping. A decisão foi comemorada aqui no Brasil, mas recebeu criticas de produtores norte-americanos. A decisão foi aprovada, por unanimidade, pela Comissão de Comércio Internacional dos Estados Unidos. Acredita-se que a desistência da taxa não provocará prejuízos e problemas para os dois países.

O Brasil é considerado como o maior produtor do suco, compondo 33% do cenário mundial e é, ainda, o maior exportador. É responsável por 85% das compras feitas pelos outros países. Os Estados Unidos compram 13% das exportações brasileiras de suco de laranja. Essa quantidade é metade do produto consumido por ano no país.

Empresas e produtores americanos criticam a aprovação

Embora isso tenha facilitado as exportações brasileiras, essa decisão desagradou os produtores locais de laranja, principalmente da Flórida. A empresa dona da marca Florida Citrus Mutual discorda da decisão e disse que vai tentar negociar com o governo americano. O líder do grupo de produtores, Michel Sparks, disse que pretendem conversar para tentar resolver esse problema interno. Com essa retirada da taxa os produtos chegarão ao país com um valor mais barato o que, segundo eles, prejudicará a produção interna de suco. Sparks ressaltou que o ramo de produção emprega 76 mil pessoas e gira em torno de 9 bilhões de dólares.

Embora os produtores e as empresas estejam preocupados com a situação, uma fonte do setor disse que isso não deve aumentar muito as exportações, já que o valor diminui apenas 50 dólares por tonelada de laranja sem a taxa.