Publicado em: sábado, 10/05/2014

EUA considera desnecessária a visita de Putin à Crimeia

EUA considera desnecessária a visita de Putin à CrimeiaNa última sexta-feira, dia 9 de maio, o presidente russo Vladimir Putin fez um discurso em Sebastopol. O motivo da viagem foi um desfile militar. Os Estados Unidos comentaram a situação dizendo que consideram desnecessária e provocadora a ida da autoridade até a Crimeia. Os norte-americanos dizem que a península da Crimeia continua pertencendo à Ucrânia e não à Rússia.

O porta-voz de Departamento de Estado chamado Jen Psaki concedeu sua entrevista diária como de costume e aproveitou para dizer que os Estados Unidos não reconhecem as ações da Rússia como legítimas em relação ao território da Crimeia.

Em seu discurso, Vladimir Putin afirma que o retorno da Crimeia para a Rússia marca um momento de restauração da verdadeira história. As palavras foram proferidas a milhares de moradores de Sebastopol. A região foi anexada à Rússia no mês de março de 2014.

Psaki deixa claro ainda que a visita não foi declarada e ninguém sabia que Putin iria à Crimeia. Ele explica que o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, teve uma conversa telefônica com Sergei Lavrov sobre a crise na Ucrânica e também em relação ao conflito na Síria. Mas nada foi comentado.

A conversa entre John Kerry e Sergei Lavrov tinha como foco os esforços no trabalho com a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) e também na Ucrânia. Além disso, as duas autoridades ainda falaram sobre a retirada de armas químicas.

Uma conversa entre Kerry e o primeiro-ministro interino da Ucrânia, Arseni Tatseniuk, tratou sobre a segurança na região e a preparação para o período eleitoral. As eleições para presidente irão acontecer no próximo dia 25.

Durante a visita do presidente russo à Crimeia, ele deixou claro que o ano de 2014 vai ficar na história. Vladimir Putin declarou que os povos da região decidiram ficar ao lado da Rússia e confirmara fidelidade aos ancestrais. Ele ainda disse que a Rússia respeita tosos os países. A solenidade comemorou a vitória russa contra os nazistas no ano de 1945.