Publicado em: terça-feira, 25/03/2014

Estudo mostra importância dos metadados telefônicos

Estudo mostra importância dos metadados telefônicosQuando Edward Snowden, ex-agente da NSA (Agência de Segurança dos Estados Unidos), revelou ao mundo o sistema de espionagem feito pelo governo norte-americano, diversos agentes do estado foram a público para tranquilizar a população, afirmando que nenhuma ligação foi, de fato, ouvida. As únicas informações coletadas pela agência foram os chamados metadados, ou seja, informações como data, hora, duração e número discado.

As declarações tinham como objetivo mostrar que, no final das contas, as pessoas podiam continuar seguras. Contudo, um estudo realizado por dois estudantes da Universidade de Stanford, publicado nesta segunda-feira, mostrou que os metadados podem ser mais reveladores do que imaginamos.

A pesquisa

O estudo, conduzido por Patrick Mutchler e Jonathan Meyer, consistiu na observação de metadados de voluntários ao longo de quatro meses. No total, 546 pessoas permitiram que os pesquisadores tivessem acesso a estas informações (e apenas a elas). Neste curto período, Jonathan e Patrick descobriram doenças gravez, relacionamentos amorosos, uma gravidez indesejada e muito mais.

Para que isso fosse possível, os pesquisadores se basearam exclusivamente na dedução: foi necessário apenas associar os números discados aos telefones de destino, que podem ser encontrados gratuitamente na internet. Assim, eles puderam saber para quais empresas ou organizações os voluntários estavam ligando e, a partir daí, descobrir detalhes íntimos da vida de cada um.

Revelações

Os dois pesquisadores se disseram surpresos com o resultado da pesquisa. Mesmo tendo o objetivo inicial de revelar a importância dos metadados, nem eles próprios imaginavam que seria tão fácil descobrir tantas coisas sobre a vida de alguém apenas com estas informações.

Dentre os números discados pelos voluntários estavam, por exemplo, os Alcoólicos Anônimos, advogados de divórcio, lojas de armas, farmácias e muito mais. O projeto foi criado pelos estudantes em novembro, sendo batizado de MetaPhone. A inspiração para a pesquisa veio exatamente das revelações de Edward Snowden.

Suposto anonimato

Quando tentou se defender das acusações de espionagem, a NSA afirmou que os números de telefone são anônimos (ou seja, não é possível descobrir, em pesquisas na internet, a quem pertence o número discado). Os estudantes conseguiram derrubar esta informação de maneira impressionante: durante o estudo, eles conseguiram identificar 91% dos destinatários das ligações, apenas pesquisando os telefones no Google.

Para tornar o projeto viável, Jonathan e Patrick desenvolveram um aplicativo que recolhia apenas os metadados dos telefones, sem ter qualquer acesso às conversas. Após duas semanas, o projeto já contava com centenas de voluntários. E, neste curto período, os pesquisadores já conseguiram identificar, com quase 80% de acertos, quais dos voluntários estavam em um relacionamento amoroso.

Cruzamento de dados

Um exemplo prático que aconteceu durante a pesquisa demonstra o poder dos metadados: um voluntário telefonou para diversos consultórios de cirurgia neurológica, além de uma farmácia, uma empresa de tratamento domiciliar e um farmacêutico que lida apenas com esclerose múltipla.

Ao reunir estas informações, os pesquisadores puderam descobrir que o voluntário estava com uma doença grave. O mesmo cruzamento de dados foi utilizado para obter informações como gravidez indesejada, infidelidade e muito mais.