Publicado em: quarta-feira, 14/08/2013

Estudo diz que 50% das mulheres que sofrem abuso são adolescentes

Estudo diz que 50% das mulheres que sofrem abuso são adolescentesDe acordo com uma pesquisa desenvolvida pelo Hospital da Mulher Professor Dr. José Aristodemo Pinotti (Caism) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), cerca de quase metade faz pessoas que são vítimas de estupro são adolescentes. A porcentagem de vítimas adolescentes é de 47,4%.

O estudo fez um mapeamento com 687 mulheres jovens e adultas que sofreram violência sexual e que foram atendidas entre os anos de 2006 e 2010. Por meio desse mapeamento, os pesquisadores puderam trazer um perfil das vítimas de violência sexual, além de avaliar as características dessas agressões, que tipo de tratamento ambulatorial elas receberam e quais foram as consequências psicológicas na vida dessas pessoas.

Comandada pela médica psiquiatra Cláudia de Oliveira Facuri, a pesquisa foi feita com base nas informações conseguidas nas fichas das pacientes atendidas. Dos 687 casos de estupro levantados, 325 aconteceram com adolescentes. De acordo com a pesquisa, a idade média das mulheres que sofreram violência sexual é de 23 anos. A maioria delas tinha escolaridade maior do que oito anos, era saudável, solteira, não tinha filhos e da cor branca.

Para a responsável pela pesquisa, essas informações vem para reforçar as teorias médicas que afirmam que a adolescência é a fase em que as mulheres correm mais risco de serem vítimas de violência sexual. Isso acontece porque é nesta fase da vida que a menina começa a aparecer como mulher e também é nessa mesma fase que a menina começa a sair sem muita supervisão dos pais, dando chance para que crimes como este aconteçam.

Consequências psicológicas e físicas

O estudo apontou que esse tipo de agressão tem consequências psicológicas e físicas para as vítimas deste tipo de agressão. A pesquisa mostrou que depois de passarem pela experiência de serem vítimas de crimes sexuais, mais da metade delas começou a apresentar alterações no sono. Na lista das que já pensaram em cometer suicídio, aparecem 18% delas. 48,5% apresentam ansiedade e mais da metade têm sintomas depressivos.