Publicado em: quarta-feira, 19/02/2014

Estudo cria perfis para classificar a nova classe média brasileira

Estudo tenta classificar a nova classe média brasileiraNesta terça-feira (18), o instituto Data Popular e a Serasa Experian, divulgaram um estudo feito que classifica a nova classe média em 3 gêneros: promissores, batalhadores, experientes e empreendedores. É considerado pessoas de classe média aqueles que possuem uma renda familiar mensal que fica em torno de R$1.694 até R$3.094. A pesquisa foi feita apenas em pessoas com mais de 16 anos, ou seja, quase 77 milhões de pessoas. Cerca de 108 milhões de brasileiros, fazem parte desse grupo dividido em 4 tipos de perfis diferentes. Se este número formasse um país, a classe média brasileira ocuparia a 12ª posição, à frente até da Alemanha, Egito e França.

O que o estudo tem por “promissores”, são jovens solteiros, com ensino médio completo, com idade média de 22 anos, que possuem emprego com carteira assinada. Esse padrão de jovens, totalizam 14,7 milhões de pessoas e todos eles gastaram juntos em média R$230,8 bilhões, com interesses pessoais como, beleza, veículos, entretenimento, itens para casa e tecnologia. Para grande parte destes jovens o acesso ao crédito, ajuda a melhorar a situação financeira, em contrapartida, segundo o estudo, 51% desses jovens já tiveram algum tipo de problema por conta de descontrole financeiro. Já os classificados como “batalhadores”, segundo o Data Popular e o Serasa Experian, são 30,3 milhões de pessoas – 39% deles. Este é o grupo em que mais consumiu no ano passado, totalizando as despesas em R$388,93 bilhões, possuem em média 40 anos. As pessoas pertencentes a este grupo veem o emprego como uma porta de estabilidade e realizações pessoais, por isso gastam o dinheiro em turismo nacional, veículos, eletrônicos, imóveis, móveis, eletrodomésticos e seguros.

Grandes consumidores

O “Faces da Classe Média” realizou um estudo a fim de ajudar empresas, agências de publicidade e governos para criar ações com o intuito de chamar atenção destes consumidores. De acordo com este estudo, a nova classe média gastou em 2013, R$1,17 trilhões. Esse grupo foi o grande responsável de movimentar 58% do crédito que foi concedido só no ano passado.