Publicado em: quinta-feira, 15/03/2012

Estudo aponta que 85% dos principais aeroportos brasileiros estariam em situação crítica ou preocupante

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou nesta quarta-feira (14), um levantamento que mostra que 17 dos 20 principais aeroportos do Brasil, o equivalente a 85%, se encontram em situação considerada “crítica” ou “preocupante”. Segundo o estudo, 12 desses aeroportos estão funcionando acima da sua capacidade operacional. Somente os aeroportos das cidades de Porto Alegre, Manaus e Salvados estariam funcionando adequadamente, longe do “cenário de estrangulamento”.

A preocupação é maior devido à realização da Copa do Mundo de 2014, no país. De acordo com o levantamento, as etapas do Plano de Investimentos da Infraero teriam evoluído muito pouco nos últimos 12 meses (fevereiro de 2011 a janeiro de 2012). “Dos 11 aeroportos nos quais estão previstos investimentos nos terminais de passageiros, oito estão nas fases iniciais de projetos”, aponta o estudo.

Estima-se que o aeroporto de Viracopos, em Campinas, não conseguirá atender à grande demanda de passageiros e carga. “Se não debatermos isso hoje, quando quisermos fazer não será possível”, afirmou Erivelto Guedes, técnico do Ipea. Ele frisa que a solução em São Paulo deve ser planejada em conjunto e levando em consideração a construção do trem-bala e a demanda eu Viracopos trará para a rodovia.

De acordo com o Ipea, não é apenas os aeroportos que geram preocupação. O Brasil investe somente 0,7% do PIB em transporte, algo muito menor do que países emergentes fazem. China, Chile, Índia e Rússia, além do Vietnã investem cerca de 2,7% do PIB em transporte. O cálculo é de que o Brasil precise investir cerca de R$ 185 bilhões em rodovias, R$ 75 bilhões em ferrovias e R$ 45 bilhões em portos.

Para o Ipea, o país não soube tirar proveito da Copa do Mundo para solucionar as questões de transporte nas 12 cidades que irão servir de sede para o torneio. Na época em que a Copa do Mundo foi anunciada, a mobilidade urbana era tida como o grande legado da competição esportiva.