Publicado em: segunda-feira, 20/01/2014

Estudo afirma que musculação diminui risco de diabetes nas mulheres

Musculação diminui risco de diabetes nas mulheres Não é à toa que todos os médicos recomendam exercícios físicos diários. Recentemente a Faculdade norte-americana de Harvard, no setor de medicina, desenvolveu com seus cientistas um estudo em que aponta que as mulheres são adeptas da musculação tem risco reduzido de desenvolver diabetes.

A pesquisa acompanhou cerca de cem mil mulheres norte-americanas, enfermeiras, durante oito anos. E constatou que fazer flexões, levantar pesos ou exercícios como esses, que estimulam a resistência muscular, foram associados a um risco menor à diabetes. Comparando exercícios aeróbicos com musculares, a musculação ganha quanto o assunto é a diminuição da doença no público feminino.

As mulheres estudadas que fizeram pelo menos 2h30 por semana de práticas aeróbicas e pelo menos 1h de musculação apresentaram uma redução maior, quando comparada às mulheres que não praticam exercícios. As mulheres da pesquisa, que realizaram exercícios, apresentaram uma redução de 1/3 das chances de desenvolverem a diabetes do tipo 2.

Mas o estudo faz uma sugestão também, que além da musculação e exercícios aeróbicos, as mulheres pratiquem também alguns exercícios de resistência, o que segundo os cientistas de Harvard, garantiria uma maior proteção.

O estudo tem suas dúvidas

Os cientistas contudo ressaltam que a pesquisa não é perfeita, pois estudaram apenas enfermeiras, sendo na maioria brancas e levando em consideração os dados que as mesmas encaminhavam à eles, sem poder averiguar ou checar se eram reais e verdadeiros. Entretanto, afirmam que os resultados desse estudo são compatíveis com outros já realizados com homens.

Os pesquisadores disseram que os resultados levam a crer que uma massa muscular mais trabalhada funciona como se fosse um amortecedor contra a diabetes. Isso se explica porque a diabetes do tipo 2 consegue se desenvolver quando células produzem insulina e começam a funcional mal, ou quando o corpo não produz a insulina na quantidade que deveria.