Publicado em: quinta-feira, 27/03/2014

Estudantes vão a Brasília cobrar agilidade na aprovação do PNE

Estudantes vão a Brasília cobrar agilidade na aprovação do PNEDepois de os professores buscarem, pelas ruas do país, a aceleração da votação do Plano Nacional de Educação (PNE), além de outras reivindicações, agora foi a vez de um grupo de mais de dois mil estudantes manifestarem seu desejo em frente ao Congresso Nacional. A marcha começou na Esplanada dos Ministérios, e era ritmada por gritos de ordem contra a Copa do Mundo e pelo passe livre para os estudantes.

A valorização dos professores também foi exigida pelos jovens na manhã da última quarta-feira (26). Ao final do ato, os manifestantes foram até o espelho d’água, onde tomaram um banho. O ato foi organizado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), em conjunto com a União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes), e integrou o calendário da Jornada de Lutas da Juventude, iniciada no mesmo dia.

O objetivo dos militantes é, principalmente, pressionar o congresso para que se aprove de uma vez por todas o PNE, que levaria ao setor da educação grandes montantes de dinheiro, formados por 10% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e pelos royalties do Pré Sal. Além disso, os estudantes ampliam sua busca por direitos, saindo da reivindicação para o ambiente escolar e exigindo meios de comunicação mais democráticos, além de trabalho decente.

Avanços para o setor

O Plano Nacional da Educação tramita no Congresso há três anos. Através dele são estabelecidas diretrizes que conduzirão o setor pelos próximos 10 anos. Entre os objetivos, estão a universalização do atendimento escolar em todo o país, e a erradicação do analfabetismo.

Para estudantes que participaram da manifestação, o PNE tem sido esquecido por conta da Copa do Mundo e seus atrasos, e as mudanças positivas que o plano pode trazer para a educação brasileiras são postergados pelo benefício de poucos.