Publicado em: sábado, 28/04/2012

Estudantes paranaenses ficam sem aulas por causa de paralisação de professores

Os estudantes da rede pública de ensino do Paraná ficaram, na última quinta feira (26), sem aula devido ao dia de paralisação promovido pelos professores da rede, que solicitam um reajuste salarial, além da contratação de novos profissionais.

Já no início do dia, mesmo com a chuva que caía na capital, aproximadamente 300 docentes se encaminharam para o Centro Cívico de Curitiba, para se organizarem quanto a manifestação que aconteceria em frente ao Palácio Iguaçú.

A presidente do sindicato responsável pela representação dos professores estaduais, a APP Sindicato, Marlei Fernandes Carvalho, declarou que uma das principais brigas da categoria é que o piso nacional seja pago de forma integral no Paraná. Outra reivindicação apontada pela presidente é que seja destinado um terço do tempo da carga de trabalho para atividades fora da sala de aula, que seria usado em atividades como preparação das aulas e pesquisas para outras ações.

Ordem dos fatos

De acordo com Marlei, logo depois da definição do piso nacional em R$ 1.452,06, o governo paranaense ofereceu um reajuste salarial para os professores de R$ 1.463,28, que seria válido a partir de outubro. Mas o que a presidente aponta é que este valor não estaria contemplando o pagamento retroativo do mês de janeiro, como está estabelecido na lei do piso. A oferta também incluía que a destinação da carga horária para hora atividade aconteceria apenas no próximo ano.

Uma nota da Secretaria Estadual de Educação foi divulgada afirmando que o órgão está aberto para o diálogo e negociação com a categoria, lembrando ainda, que parte deste trabalho teve como resultado a equiparação dos salários dos técnicos de nível superior do estado e os professores.

A nota declarava ainda que a secretaria tem a intenção de avançar na negociação, com o interesse maior em manter o direito da população de acessar uma educação de qualidade.