Publicado em: sábado, 18/02/2012

Estudante é condenado a oito meses de prisão por ter invadido Facebook

Nesta sexta-feira, dia 17 de fevereiro, um estudante de programação informática da Inglaterra foi condenado a passar oito meses na prisão depois de ter conseguido invadir a rede social Facebook. A invasão provocou uma investigação até mesmo do FBI. O estudante é Glenn Mangham, de 26 anos, e reconheceu o crime entre os meses abril e maio do ano passado.

Ele confessou ter hackeado a rede social na casa de seus pais no norte da Inglaterra, em York, e disse que somente teve esta atitude para mostrar que o sistema de segurança do Facebook possui muitas falhas. O estudante de programação informática britânico declarou ainda que já havia feito a mesma ação antes com o site Yahoo! Ele conta que, depois do que fato, explicou para o portal todas as falhas operacionais de seu sistema.

Facebook pagou caro para resolver a questão

O promotor do caso, Sandip Patel, não aceitou as justificativas dadas por Glenn Mangham, e afirmou que o jovem hacker que invadiu o Facebook teve uma atitude mal-intencionada. O promotor ainda disse em sua declaração que o estudante “atuou com determinação, uma ingenuidade inquestionável e (…) com um espírito calculista”.

Sandip Patel disse que este foi o caso de pirataria em uma rede social mais importante e grave que a justiça da Inglaterra já enfrentou. A rede social de Mark Zuckerberg desembolsou uma boa quantia para que o caso fosse resolvido, tendo que gastar US$ 200.000. O assunto foi investigado pelo FBI e também por autoridades da Inglaterra. O juiz Alistair McCreath justificou a pena do jovem dizendo que suas ações foram graves e que poderiam ter causado sérias consequências para o Facebook.