Publicado em: quinta-feira, 26/07/2012

Estudante americana cria cérebro artificial que detecta câncer de mama

Uma estudante de 17 anos norte-americana criou uma espécie de “cérebro artificial” que é capaz de verificar se a pessoa está com câncer de mama. Com esta invenção, a jovem conseguiu o primeiro lugar na Feira de Ciências do Google deste ano. A estudante é Brittany Wenger, que mora em Ranch Lakewood, na Flórida.

Ela criou uma forma pouco invasiva para poder identificar e, posteriormente, retirar o tumor, que está presente em uma a cada oito mulheres em todo mundo. No Brasil, o câncer de mama é o tipo mais letal, assim como em diversos outros países. A técnica criada pela norte-americana foi chamada “aspiração com agulha fina” e foi testada 7,6 milhões de vezes.

Resultados

Após tantos testes, 99,1% foram precisos, indicando a sensibilidade do tumor. De acordo com a jovem inventora, atualmente a maneira menos invasiva de se detectar o tumor é considerada também a que menos obtém resultados. Isso faz com que a maioria dos médicos não utilize o procedimento. Brittany afirma que é muito importante que a doença seja detectada de maneira precoce para obter maiores chances de cura.

Sua invenção consiste em uma série de programas de computador que pensam como se fossem um cérebro. Estes programas podem detectar vários padrões complexos e, segundo a jovem, sua invenção poderá chegar rapidamente aos hospitais. Além disso, ela acredita que a técnica poderá ser usada em breve para detectar outros tipos da doença.