Publicado em: terça-feira, 05/08/2014

Estreia do programa de Luiz Bacci na Band é apelativa e confusa, sendo apelidado de “bacciaria”

Estreia do programa de Luiz Bacci na Band é apelativa e confusa, sendo apelidado de “bacciaria”Após mudança de emissora, contrato assinado, preparação para o programa, chega a estreia do jornalista Luiz Bacci na Band. Todos já imaginavam que por se tratar de um programa policial, traria tragédias mas de uma outra forma a ser abordada, novos bordões e até mesmo uma característica própria do novo apresentador, e realmente surpreendeu, entretanto, com um pouco de exagero.

Luiz Bacci abordou dez crimes diferentes em cerca de 30 minutos, mostrou cenas de uma “cirurgia espiritual”, trouxe bordões já usados em outros programas do mesmo gênero e ainda aproveitou para sutilmente “cutucar” o “Fantástico” da Globo. O programa foi ao ar as 15h30 e terminou as 17h, com um sensacionalismo excessivo, levando os telespectadores fazerem trocadilho com o nome do apresentador, classificando a atração como “bacciaria”, mistura de Bacci com a palavra “baixaria”.

Bordões clássicos

Por vezes ele gritou “Tá na Tela”, remetendo a outros famosos bordões de apresentadores como Marcelo Rezende da Record e José Luiz Datena, da Band, também falado por Geraldo Luis no “Domingo Show”, da Record. Mais tarde, ele gritou novamente: “É exclusivo!” anunciando uma reportagem especial que só iria ser rodada no final do programa, sobre uma conversa com o suspeito de matar MC Daleste.

Bacci berrou mais uma vez, dessa vez pedindo o helicóptero, para que fosse mostrado o “clássico” dos programas policiais, o repórter sobrevoando a região de um sequestro que estava em andamento, a famosa perseguição policial – policia caça bandido. O programa todo seguiu dessa forma, não se sabe se com muita empolgação ou descontrole, mas o que se percebeu fora o letreiro anunciando a matéria, sendo mudado a cada minuto. Com tantos assuntos sendo “atropelados”, ficou confuso para o telespectador e por vezes pareceu apenas uma apelação pela audiência.