Publicado em: sexta-feira, 19/10/2012

Estréia de Zizao pelo Corinthians tem grande repercussão

Estréia de Zizao pelo Corinthians tem grande repercussãoDemorou, mas o atacante chinês Zizao finalmente entrou em campo com a camisa do Corinthians, sete meses após sua contratação. Embora tenha atuado por apenas 13 minutos, Zizao foi bastante mencionado nas redes sociais e na imprensa. Na noite desta quarta-feira, o chinês chegou a ser o assunto mais comentado do mundo no Twitter.

Apresentado pelo clube em março deste ano, o atacante chinês de 24 anos é uam das principais apostas da equipe de marketing do Corinthians para popularizar o clube na China, onde pretende encontrar parceiros para negócios futuros. Até ontem, entretanto, a ação de marketing não tinha trazido qualquer resultado.

Investimento

Com a entrada de Zizao na partida de ontem – o Corinthians foi derrotado pelo Cruzeiro por 2 a 0 -, o departamento de marketing do Timão pretende colocar em ação uma nova etapa em suas possibilidades comerciais. O primeiro passo é analisar qual foi a repercussão da estreia de Zizao na China.

O gerente de marketing do Corinthians, Caio Campos, afirmou que, agora, será iniciada uma “terceira etapa” no marketing em torno do atacante chinês. A etapa inicial era encontrar um bom jogador da China para ser contratado pelo Corinthians; a segunda etapa foi concluída ontem, com a entrada de Zizao em campo. O momento, agora, é de consolidar parcerias.

Tite nega pressão

No Corinthians, todos negam a possibilidade de ter havido alguma pressão da diretoria para que Zizao entrasse em campo. De acordo com Tite, a decisão de promover a estreia do chinês foi tomada por ele mesmo, e Zizao entraria em campo nesta quarta-feira independente do placar.

Luis Paulo Rosenberg, vice-presidente do Corinthians, já havia dito ao treinador que não havia obrigação alguma de colocar Zizao em campo. Quem mais “pressionou” o treinador foi o próprio elenco corinthiano. Zizao é muito querido pelos atletas do Corinthians.

De acordo com Tite, o atacante chinês teria estreado antes, se não fosse uma lesão sofrida no ombro. O treinador também destacou que foi preciso trabalhar a malícia do jogador, que não tinha a “malandragem” necessária para proteger a bola e costumava ser desarmado com facilidade.