Publicado em: terça-feira, 15/07/2014

A estreia de “O Rebu” surpreende as expectativas de quem esperava uma verdadeira trama polícia

A estreia de “O Rebu” surpreende as expectativas de quem esperava uma verdadeira trama políciaA novela “O Rebu” que estreou nessa segunda-feira 14/07 parece ter finalmente acertado no gosto do público. O receio da propaganda mostrar algo e a novela apresentar algo totalmente diferente foi descartado. Todas as expectativas da nova novela das onze da Globo, foram superadas. A estreia acabou sendo realmente um pouco confusa, mas de forma sofisticada. Nesse quesito, ficaria muito difícil transmitir toda essa “confusão” em pequenos intervalos comerciais.

A nova trama da emissora é um remake de uma antiga novela da Globo, criada em 1974 por Bráulio Pedroso – o mesmo autor que revolucionou o gênero com “Beto Rockfeller” –, a história basicamente se passa em apenas um dia, no primeiro capítulo, quando acontece um assassinato durante uma festa da alta sociedade. Depois disso, as investigações começam em torno do crime e flashbacks do dia, vão mostrando antecedentes dos personagens ao desenrolar da história. Mas tudo sempre embaralhado, como se o telespectador também precisasse montar um quebra-cabeças junto com os investigadores.

Distanciamento da primeira versão

A nova versão da novela, aproveitou e usou apenas a ideia central da versão original de Bráulio Pedroso. Os perfis dos personagens são distintos e seus motivos e objetivos para ir a festa também são outros, como também o motivo por ter cometido o assassinato.

Mas a grande diferença entre a primeira versão apresentada em 1974 e a nova é na revelação da identidade do morto, na anterior o morto só era revelado no decorrer da história, na metade da história, enquanto na nova versão, a identidade já foi divulgada no primeiro capítulo. Todo o contexto, o tempo e a edição confunde em um primeiro momento, mas a proposta na trama polícial é exatamente essa. Uma edição de imagem mais escura, uma trilha sonora mais envolvente, misturando o instrumental dando ares de mistério, combinado a muitos ritmos animados de festas.