Publicado em: sábado, 18/02/2012

Estados Unidos detém suspeito homem-bomba

Nesta sexta-feira, dia 17 de fevereiro, um marroquino de 29 anos foi detido nas proximidades do Capitólio (sede do Congresso norte-americano), em Washington, com a suspeita de que ele quisesse detonar um colete suicida do local. Segundo autoridades do governo e a polícia local, o colete tinha sido entregue para o suspeito por integrantes do FBI com disfarces.

O suspeito chama-se Amine El Khalifi de Alexandria, Virgínia, e foi detido portando uma arma e mais explosivos que não funcionava. Devido a isso, as autoridades do país afirmaram que a população norte-americana não estava correndo qualquer tipo de risco. Segundo o porta-voz do Departamento de Justiça, Dean Boyd, o homem, que ficou nos Estados Unidos mesmo com um visto vencido há muito tempo, estava sendo investigado há aproximadamente um ano pela polícia do Capitólio e também pelo FBI. Pessoas afirmaram à Associated Press que o homem era vigiado pelo FBI durante as 24 horas do dia.

Suspeito pretendia matar pelo menos 30 pessoas

Amine El Khalifi demonstrou que desejada deixar pelo menos 30 pessoas mortas no atentado, e afirmou que considerava atacar um edifício em Alexandria, um restaurante, um local de encontro de militares e também uma sinagoga. Todas essas ações seriam cometidas antes de o suspeito escolher atacar o Capitólio, área que já teria sido analisada outras vezes.

De acordo com uma autoridade, o marroquino era um dos agentes do FBI que estavam disfarçados em uma pedreira em Washington onde seriam detonados explosivos. O homem chegou ao território norte-americano quando tinha apenas 16 anos, não possui emprego e nenhum indício de ligação com a rede terrorista Al-Qaeda foi encontrado. Existem informações de que a polícia norte-americana está muito perto de prender outro marroquino que possui relações com Khalifi.