Publicado em: sábado, 22/06/2013

Estados Unidos agora consideram doença a obesidade

Estados Unidos agora consideram doença a obesidadeA Associação Médica Americana (AMA) divulgou nesta semana que agora ela considera de forma oficial que a obesidade seja uma doença. A divulgação ocorreu no mesmo momento em que foi aprovada a Política para a Obesidade dos Estados Unidos.

A associação acredita que a decisão vai poder ajudar a melhorar e alterar a forma pela qual os médicos encaram o problema da obesidade, que já acomete um americano a cada três. Encarar a obesidade como doença também deve contribuir para o tratamento e diminuir o surgimento de problemas que têm relação com a obesidade, como doenças vasculares e do coração, assim como a diabete do tipo 2.

Por enquanto, no caso do Brasil, a obesidade é considerada como fator de risco, mas não é denominada como doença. O conceito, no entanto, estaria antigo e ultrapassado, conforme a Associação Brasileira para Estuda da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso).

A diretora da Abeso, Maria Edna de Melo, que também é médica integrante do Grupo de Obesidade e Síndrome Metabólica, que funciona no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de São Paulo, afirma que as pessoas que atuam com o problema de maneira séria consideram a obesidade doença há algum tempo.

Para ela, a decisão tomada nos Estados Unidos pode resultar em benefícios para o Brasil, porque esta medida terá papel educativo e de orientação aos médicos e sociedade. Ela considera que isso vai reforçar a necessidade de tratamento da obesidade.

Conforme a última pesquisa feita pelo Ministério da Saúde sobre os brasileiros, 15,8% da população está com peso maior que o ideal. Mas, este índice vem crescendo – no ano de 2006, o índice de obesos no Brasil era 11,4%, mas a estimativa é que este índice tenha crescido para 42,7%.

Segundo o governo, o problema está sendo reconhecido. Uma das medidas foi que em março de 2013 o governo lançou portaria número 424, que tem o objetivo de definir as ações para prevenir e tratar pessoas com sobrepeso. Além disso, foram alterados os critérios para que o Sistema Único de Saúde faça a cirurgia bariátrica pelo.