Publicado em: quarta-feira, 28/03/2012

Espanha apresenta recessão em 2012

Os dados sobre a economia do primeiro trimestre de 2012 confirmam recessão na Espanha. Os dados econômicos continuaram em queda pelo segundo trimestre seguido. Nos últimos três meses de 2011 a contração foi de 0,3% e a diminuição do PIB voltou a aparecer nos primeiros meses do ano. O Banco da Espanha confirmou que o país entrou em recessão, sendo que há pouco mais de dois anos enfrentou uma situação parecida. O banco disse, em seu boletim mensal, que o PIB espanhol contraiu novamente levando a um logo tempo de desestabilização econômica.

Os analistas já haviam previsto essa contração seguida, por isso não era novidade para o governo que a situação do último trimestre de 2011 voltaria. Isso ocorreu principalmente devido a redução do consumo. Os números do Banco Central mostraram que os indicadores de 2012 estiveram próximos dos de 2010. Em 2011 o PIB cresceu somente 0,7% e em 2012 o estimado é uma contração de 1,7%. Espera-se contração também no próximo trimestre.

País pretende diminuir os gastos e aumentar os impostos

O país entra em recessão quando tem dois trimestres seguidos de crescimento negativo, segundo os economistas. Ontem o Tesouro espanhol também emitiu títulos de 2,579 bilhões de euros para os próximos seis meses. O Banco da Espanha supõe que a contração da economia se deve a diminuição do consumo em função da baixa quantidade de empregos. Em 2012 o governo estima que o desemprego continuará aumentando mesmo com as reformas e pode alcançar 23,4%. O ano de 2011 terminou com 22,85% de desempregados.

Para conter os gastos o governo quer reduzir seu déficit público a 5,3% do PIB. O presidente espanhol quer mostrar aos países vizinhos e autoridades que o país será capaz de cumprir a meta. Para 2013 a estimativa é diminuir para 3%. O governo anunciou ainda cortes no orçamento no valor de 8,9 bilhões de euros e cobrança de mais impostos. Com isso cresce também o descontentamento social.