Publicado em: sexta-feira, 04/04/2014

Escritor García Márquez está hospitalizado no México

Escritor García Márquez está hospitalizado no MéxicoUma infecção pulmonar fez com que o escritor colombiano Gabriel García Márquez fosse hospitalizado no início da semana, no dia 31 de abril. Ele segue no hospital até a semana que vem. O consagrado nome da literatura e do jornalismo latino-americano já ganhou prêmio Nobel de Literatura.

García Márquez está bem e consciente. O filho dele chamado Gonzalo García Barcha afirma que a família preferiu leva-lo ao hospital por conta da idade avançada do escritor. Ele explica que não se trata de pneumonia, mas uma infecção bronquial. Mas, a recuperação está acontecendo de forma bastante positiva.

A equipe do Instituto de Nutrição Salvador Zubiran está cuidando do caso. O escritor irá tomar antibióticos para o tratamento e é provável que receba alta na próxima segunda ou terça-feira. García Marquez sofre de Alzheimer há cerca de um ano e sua última aparição foi no dia 6 de março. Naquele dia, o escritor saiu de sua casa localizada no sul da capital do México para conversar com jornalistas sobre o seu aniversário.

Na ocasião, ele estava sorridente, guardou os presentes e até posou para fotos. Mas sequer falou com os jornalistas. As aparições de García Marquez diminuem ao longo dos anos por motivos de saúde. Ele está com 87 anos de idade e foi consagrado por suas obras como “Cem anos de solidão”.

Ele é um dos autores do idioma espanhol mais populares, atrás somente de Miguel de Cervantes. Sua trajetória se compara a de Charlens Dickens e Mark Twain. Há mais de 30 anos, García Marquez fixou residência no México.

O livro “Cem anos de solidão” vendeu em torno de 50 milhões de cópia no mundo todo. A obra foi traduzida para mais de 25 línguas. A primeira publicação aconteceu no ano de 1967 e continua sendo uma preciosidade da literatura latino-americana.

Outras obras de destaque são “O amor nos tempos de cólera”, “O outono do patriarca” e “Crônica de uma morte anunciada”. O escritor recebeu o Nobel de Literatura no ano de 1982. Ele foi um dos primeiros a publicar literatura de não-ficção, gênero também conhecido por New Jornalism.