Publicado em: sexta-feira, 02/03/2012

Escola de Minas Gerais suspende aulas por causa de violência

Depois de diversos arrombamentos, servidores e alunos da Escola Municipal Maria Silva Lucas, em Contagem (MG), decidiram sair às ruas para pedir por mais segurança. Os pais dos estudantes e moradores da região também aderiram a mobilização, que aconteceu na manhã de quarta feira (29).

De acordo com a vice-direção, somente este ano, aconteceram sete roubos na escola, a ponto de escola precisar ter as aulas suspensas. Deslocaram-se da escola, localizada no bairro Novo Progresso, dois ônibus, uma van e vários carros até a sede da Prefeitura de Contagem, na região central.

A informação foi dada pela Polícia Militar, que acompanhou a mobilização pacífica. De acordo com a PM, aproximadamente 80 pessoas estavam presentes. O objetivo era negociar melhorias com alguns dos representantes da prefeitura.

Os bandidos aproveitaram o feriado prolongado de carnaval, quando aconteceram na cidade quatro dos arrombamentos. Segundo a vice-diretora Suzana Vieira, os muros do colégio precisam ser reforçados com reforma na estrutura de alvenaria e colocação de arame, que dificultaria as invasões. Em alguns dos arrombamentos, o muro chegou até a ser quebrado.

“A gente só quer segurança para os nossos alunos, funcionários e a própria comunidade. A população quer que seja colocado arame para impedir a entrada de vândalos. O muro não dá segurança, eles quebram e entram”, afirmou. A escola conta com cerca de 1,7 mil alunos e as aulas estão suspensas desde sexta feira, dia 24, como forma de protesto pela falta de segurança.

Resposta da prefeitura

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Contagem informou que o Secretário de Educação, Lindomar Diamantino Segundo, recebeu uma comissão de pais e representantes da escola para discutir soluções para o problema de segurança pública que a instituição municipal vem enfrentando.

Depois da reunião, o secretário informou à imprensa que um guarda municipal irá ajudar na vigilância da escola durante os três turnos de funcionamento. Ainda de acordo com ele, foi solicitado um reforço policial na região de entorno da escola. A respeito da reforma do muro, o secretário afirmou que recursos financeiros já foram repassados à direção do colégio e a obra está em andamento.

Além disso, está prevista a contratação de mais agentes de serviço escolar, que devem monitorar o interior do prédio. Lindomar informou que as contratações devem acontecer até o final de março.

No ano passado, a comunidade já havia se manifestado na cidade solicitando mais segurança na Escola Municipal Maria Silva Lucas. Um caso de violência em agosto do ano passado chocou alunos, pais e professores da instituição.

A diretora foi agredida por um aluno, que foi apreendido posteriormente. Ele atingiu a diretora do colégio com chutes, além de ter feito ameaças de morte. Testemunhas gravaram o ato de violência com a câmera de um celular.