Publicado em: quinta-feira, 27/03/2014

Erro do Android pode inutilizar smartphones, e Google Play Store é travada

Erro do Android pode inutilizar smartphones, e Google Play Store é travadaUm pesquisador de segurança encontrou uma falha no sistema Android que poderia até inutilizar aparelhos. O defeito é que aplicativos com mais de 387 mil caracteres no nome gerariam uma sequencia de reinicializações infinitas, obrigando o usuário a restaurar as configurações de fábrica e perder todos os dados que cadastrou no smartphone.

A loja virtual Google Play, segundo o homem que fez a descoberta, também sofria do mesmo problema, e alguns usuários relataram problemas ao enviar aplicativos para o sistema. O caso pode acontecer nas versões mais novas do Android. Tal falha já foi comunicada ao Google, que ainda não se posicionou a respeito.

Originalmente, aplicativos com nomes tão extensos não são sequer carregados pelo sistema. Porém, o Android Debug Bridge permite a instalação e, caso isso aconteça configurando para que o aplicativo inicie automaticamente quando o celular é ligado, o sistema iniciará um ciclo constante de reinicializações.

Para descobrir o problema, o especialista enviou um desses aplicativos à loja virtual, para checar se o sistema de segurança Google Bouncer seria capaz de identificar o problema e barrar o sistema, o que não aconteceu.

Segundo a empresa de segurança Trend Micro, esta falha e a inutilização do aparelho acontecem quando o aplicativo malicioso gera travamentos em vários apps importantes para o fuincionamento do Android, como o WindowManager, o PackageManager e o ActivityManager. Isso porque diversas funcionalidades do sistema dependem desses programas.

Mais problemas

Recentemente, hackers paralisaram os sistemas da Google Play Store, impedindo que atualizações fossem enviadas ao sistema e que aplicativos fossem baixados nos aparelhos. O ataque “amigo”, feito por um especialista que testava as vulnerabilidades do sistema, ainda derrubou por duas vezes o Google’s Developer Console. As falhas identificadas foram reportadas pelos hackers ao Google, para que se tomassem as devidas providências.