Publicado em: sexta-feira, 16/03/2012

Engenheiro envolvido no assalto ao Banco Central é preso em SP

Durante a tarde desta quarta-feira (14), Pedro José da Cruz, 62 anos, o “Engenheiro Pedrão”, foi preso por ter sido um dos criminosos que coordenou as escavações realizadas no túnel que foi usado pelos assaltantes que invadiram o prédio do Banco Central em 2005. Ele estava em liberdade condicional e proibido de deixar a cidade de Fortaleza (CE) e foi detido na altura do km 182 da Rodovia Presidente Dutra, região de Santa Isabel, em São Paulo.

Ele portava um documento falso com o nome de Aureliano Viana da Silva e idade de 53 anos. “Pedrão” estava com outros suspeitos em uma picape Mitsubishi L200, que não teve queixa de roubo ou de furto, quando foi parado por agentes do Núcleo de Operações Especiais (NOE), que faz parte da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Os agentes estavam fazendo uma blitz no local e não encontraram armas com os ocupantes do veículos.

Algumas horas após a detenção de Pedro José, na mesma região foram apreendidas por policiais uma quantidade de maconha que estavam com traficantes que aguardavam o grupo que tinha sido parado na rodovia. Quando o celular de um dos homens que estava na picape tocou, foi descoberto que se tratava de um comparsa, interessado em negociar a entrega da droga. Depois que o local do encontro foi marcado, o criminoso que carregava a maconha também acabou preso.

Assalto ao banco Central é o maior da história do país

Em 2005, um bando composto por 36 criminosos, alugou um imóvel que ficava perto do prédio do Banco Central, em Fortaleza. Depois disso passaram a cavar um túnel de 89 metros de distância, dando entrada ao cofre do banco, de onde roubaram R$ 164,7 milhões. Ao todo, três quadrilhas estavam envolvidas na ação, sendo duas delas de São Paulo e a outra do Ceará.