Publicado em: sábado, 20/08/2011

Enem: Consórcio pode pagar mais de R$ 73 mi pelo vazamento da prova do Enem

O Consórcio nacional de Avaliação e Seleção (Connasel), responsável pela prova do exame nacional do Ensino Médio (Enem) poderá pagar a quantia de R$ 73,4 milhões para os prejuízos que foram causados com o vazamento da prova. Nesta sexta-feira (19), a Advocacia Geral da União (AGU) entrou com uma ação na Justiça Federal de Brasília para pedindo o pagamento.

A Conassel foi a escolhida por uma licitação publica para realizar a logística do exame em todo o país. Quando a prova vazou, milhões de estudantes foram prejudicados e o calendário do processo precisou ser modificado o que causou uma série de problemas. A AGU calculou o valor a partir do valor que o vazamento custou aos cofres públicos e ainda com correções afixadas pela taxa de juros Selic.

Nesta quinta-feira (18), a Justiça Federal de São Paulo condenou os envolvidos com o furto e liberação das provas. Os acusados eram Felipe Fradella, Filipe Ribeiro Barbosa, Marcelo Sena Freitas e Gregory Camillo Oliveira Craid. Com exceção do ultimo, todos foram condenados a um determinado tempo de reclusão na modalidade de regime semiaberto.

Para garantir que as provas do exame deste ano não sejam vazadas, o Inep afirmou que as provas serão guardadas em unidades do Exército Brasileiro. Além disso, todos os profissionais que participaram da aplicação da proa estão passando por um processo de treinamento.