Publicado em: segunda-feira, 11/07/2011

Empréstimos para mensalão avaliados em R$75 milhões, afirma Gurgel

Com o último parecer feito pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, sobre o caso do mensalão e que foi enviado ao Supremo Tribunal Federal nesta quinta-feira (07), a conclusão foi que os falsos empréstimos feitos para cobrir os caixas 2 chegaram a R$75 milhões. O dinheiro teria saído dos bancos Rural e BMG, mas Gurgel não explica qual foi o raciocínio para chegar ao valor final no parecer.

O jornal Folha de S. Paulo teve acesso ao documento escrito por Gurgel, o que diz que “além do desvio de recursos públicos, os dados corrigidos demonstraram que a quantia de R$ 75.644.380,56, obtida dos Bancos Rural e BMG, foi entregue à administração do grupo liderado por Marcos Valério e ao próprio PT, sob o fundamento de “pseudo” empréstimos, sendo aplicados no esquema ilícito.”

De acordo com a análise feita por Gurgel, 36 dos 38 nomes citados como envolvidos no esquema do mensalão devem ser julgados pelo STF. Para o procurador-geral, apenas o ex-ministro da Comunicação, Luiz Gushiken, e o ex-assessor do deputado Valdemar Costa Neto, Antonio Lamas, não devem ser condenados por não terem sido encontradas evidências o suficiente para provar a participação no escândalo.

A partir da entrega da peça de Gurgel ao STF, o relator do caso, ministro Joaquim Barbosa, deve abrir um período para a entrega das defesas pelos advogados dos nomes que foram indicados. Após esse momento, Barbosa pode começar o seu resumo sobre o caso e definir seu voto. Por esses motivos, talvez o julgamento só aconteça em 2012.