Publicado em: quinta-feira, 19/07/2012

Empresas de telefonia móvel terão vendas interrompidas em vários estados

Segundo informações divulgadas ontem pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a partir da próxima segunda-feira (23) ficarão suspensas as vendas de internet e celular para a Tim, Oi e Claro. No caso da TIM, o corte ocorrerá em 19 estados brasileiros. Já no caso da Oi são para cinco e para a Claro a suspensão vale para três. As empresas só poderão voltar a vender linhas de internet e celular depois que apresentarem planos de investimentos para a Anatel. Isso deverá ocorrer em até 30 dais, contando a partir da próxima segunda-feira. A Anatel apresentou diretrizes e este plano deve contemplar principalmente a qualidade da rede e diminuição dos casos de interrupção de serviços, que é uma das principais reclamações. Para o presidente da Anatel, João Rezende, essa medida foi necessária pra fazer uma arrumação no setor e para que as empresas melhorem a qualidade da rede. As empresas que deixarem de cumprir a suspensão podem ser multadas em até R$ 200 mil por dia.

Cada estado tem uma empresa com serviços suspensos

Para evitar que as pessoas fiquem sem serviços de telefonia móvel, cada estado teve somente uma empresa suspensa. No caso dos estados de Santa Catarina, Sergipe e São Paulo haverá suspensão dos serviços da operadora Claro. Já nos estados de Roraima, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Amazonas e Amapá estarão suspensos os serviços da Oi. Já no caso da TIM, que abrange 19 estados, a suspensão deverá ocorrer no Acre, em Minas Gerais, Mato Grosso, no Pará, em Alagoas, na Paraíba, em Pernambuco, Distrito Federal, Espírito Santo, em Goiás na Bahia, no Ceará, no Maranhão, no Piauí, no Paraná, além de Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Tocantins e Rondônia. No caso das empresas Vivo, Sercomtel e CTBC não houve suspensão, no entanto é necessário apresentar um plano nacional de melhora nos serviços. Sem esse plano, as empresas também correm o risco de ter os trabalhos suspensos. A partir de amanhã as empresas poderão recorrer da decisão juntamente com o Conselho Diretor da Anatel.