Publicado em: sexta-feira, 23/03/2012

Empresas aéreas se unem para acelerar uso de biocombustíveis

Com o objetivo de acelerar a comercialização de biocombustíveis, três grandes empresas aéreas mundiais assinaram um acordo de cooperação. Trata-se da americana Boeing, a europeia Airbus e a brasileira Embraer. O acordo foi firmado esta semana e anunciado ontem em Paris. As empresas pretendem se aproximar de um elemento importante do crescimento sustentável: o uso de biocombustíveis.

Em comunicado da Arbus, o acordo pretende desenvolver um combustível avançado e de preço acessível. As três empresas querem colaboração para chegar aos governos que produzem esse tipo de combustível, pois juntas possuem mais força. Querem ainda acelerar a disponibilidade desse combustível para uso da aeronáutica. O acordo foi publicado em Paris logo depois de os presidentes das companhias Airbus e Boeing criticarem a taxa européia ETS. Essa taxa deve ser paga pelas empresas aéreas que circulam na união européia devido à emissão de CO2.

Presidentes apontam falhas na proposta dos países europeus

Embora concorrentes no mercado, os dois presidentes concordaram que essa taxa será prejudicial e provocará conflitos com o governo dos países europeus. Os diretores estimam que a lei vá diminuir a quantidade de postos de trabalho e dividirá a indústria.
Ontem, Paulo César Silva, presidente da Embraer, se uniu aos demais empresários para assinar o acordo em Genebra.

De acordo com as informações repassadas pela Airbus, o tráfego aéreo aumentou 45% nos últimos 10 anos, mas o uso de combustível não passou de 3% de evolução no período. Embora isso tenha sido pouco significativo, a empresa anunciou que a redução de CO2 foi bastante significativa. Para o presidente da companhia, esse acordo entre as empresas permitirá uma maior redução dos problemas ambientais causados pelo setor de aviação e o aumento de esforços para desenvolver combustíveis sustentáveis e de boa qualidade.