Publicado em: quinta-feira, 08/09/2011

Empresas acusadas de participação no mensalão do DEM condenadas a devolver R$240,8 milhões aos cofres públicos

A Justiça do Distrito Federal condenou empresas envolvidas no escândalo conhecido como Mensalão do DEM a devolverem R$240,8 milhões aos cofres públicos. No total, são seis empresas que vão ter que restituir a quantia estipulada. De acordo com as investigações, tais empresas receberam verbas para supostos serviços que não haviam sido aprovados por licitação. A decisão da Justiça do DF foi a primeira nessa quantia com relação ao esquema do Mensalão.

O esquema do mensalão foi o caso responsável por condenar o ex-governador do DF José Roberto Arruda à prisão. Quem denunciou a corrupção foi um secretário do próprio governo do DF e a base do esquema era o pagamento de propinas a integrantes do governo em troca de apoio político na aprovação de projetos. Para denunciar o esquema, os delatores conseguiram gravar vídeos com imagens dos envolvidos recebendo o dinheiro ilícito.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, encarregado de encaminhar um parecer com as acusações contra os nomes indicados pela suposta participação no esquema, afirmou na última terça-feira (06) que conseguiu identificar provas suficientes para abrir processos contra todos os acusados. Mesmo com a conclusão da sua avaliação, Gurgel informou que não há uma data definida para encaminhar o parecer.

Uma das pessoas envolvidas no caso, Jaqueline Roriz (PMN-DF), foi absolvida na semana passada pela Justiça do DF das acusações de quebra de decoro parlamentar por também ter sido filmada recebendo dinheiro ilegal, o qual estaria supostamente vinculado com o mensalão. Porém, ela ainda deve responder às acusações do Supremo Tribunal Federal (STF).