Publicado em: sábado, 15/03/2014

Empresários investem em “food trucks”, e acreditam que SP será a capital da gastronomia

Empresários investem em food trucks, e acreditam que SP será a capital da gastronomiaEmpresários veem nos “restaurantes móveis” um novo meio que traz mais praticidade, maior lucro e fará muito sucesso entre o público. A ideia vem da cidade de São Paulo, em apostar em pequenos caminhões e vans que sirvam hambúrgueres, massas, docinhos, Kebabs e também salgadinhos, contudo, para conseguir ser colocada em prática, antes de tudo é preciso passar pelo processo burocrático da Prefeitura. Os empreendedores que estão interessados, acreditam que este é um ótimo investimento, por ter uma maior margem de lucro e sem precisar gastar com aluguel de estabelecimentos, o valor médio para se obter um veículo equipado é de até R$300 mil.

O processo de regulamentação já foi aprovada pela Câmara e sancionada pelo prefeito Fernando Haddad (PT), entretanto, existem muitos outros pontos a serem regulamentados para que haja a liberação. A previsão era que a decisão acerca das normas saíssem até o final de fevereiro pela Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, mas ainda não obtiveram resposta, o que deixa os empresários e franqueados na expectativa em contribuir para colocar em prática o plano de transformar a cidade de São Paulo, na capital da gastronomia, como dizem, será a metrópole do “food truck”. As empresas já estão em alerta, somente esperando o veredicto, uma delas especializadas em salgadinhos, já possui 17 fraqueados.

Irregularidades

Até o momento, muitas barracas e vans de ‘fast food’ funcionam de maneira ilegal na capital, sobretudo, a nova lei que está entrando em vigor, é justamente para colocar fim nessas irregularidades. Os donos desses veículos equipados, serão obrigados a se cadastrar na Prefeitura, para conseguir licença e assim atuar de forma regulada, terão também que saber corretamente sobre os endereços e horários que são permitidos, sendo submetidos a fiscalização e pagamento de impostos pelo empreendimento.