Publicado em: segunda-feira, 24/11/2014

Empresa de segurança da informação anuncia descoberta de vírus para cyber ataques a órgãos ligados ao governo

Empresa de segurança da informação anuncia descoberta de vírus para cyber ataques a órgãos ligados ao governoA empresa Symantec, que é uma das principais no ramo de segurança da informação, fez o anúncio de descoberta de um vírus que é destinado a promover cyber ataques a órgãos do governo, chamado de Regin este tipo de ameaça é o mais incrementado programa invasor que já foi feito.

e acordo com o comunicado da Symantec esse vírus foi utilizado para proceder ataques nos últimos anos, além disso os alvos para os quais os ataques eram destinados são diversos e compreendem o mundo todo, sendo organizações do governo, empresas ou simplesmente usuários comuns.

As localidades mais prejudicadas pela ação do vírus foram Rússia, Paquistão, Arábia Saudita, México, Índia, Irã e Irlanda. Nestas localidades foram registradas ações do Regin em seus computadores, os mais afetados compreendem pequenas empresas, estas são 48%, enquanto as empresas de telecomunicações apresentam 28% dos ataques registrados.

Segundo informações dos profissionais que realizaram a pesquisa na Symantec, a confecção do Regin pode ter sido realizada em anos, com isso é possível que este tenha sido fruto de uma encomenda procedida por algum governo em específico, segundo informações de Sian Jenkins, o Regin pode ser originário do Ocidente, já que ele requer um nível específico de habilidade para que este fosse confeccionado, isto referente ao tempo e também aos recursos que foram empregados em sua confecção.

A empresa detectou que o Regin existem similaridades com o vírus Stuxnet, que foi descoberto no ano de 2010 e teve como principal utilização a sabotagem nuclear do Irã, este teria sido produzido com o aval de autoridades israelenses e também americanas, porém o Stuxnet danificava as máquinas, já o Regin serve para que informações possam ser armazenadas, como fotos de telas, senhas, ou mesmo com a recuperação de arquivos que já tenham sido deletados do computador.

A empresa alerta que mesmo se utilizando um antivírus que seja poderoso, a detecção do Regin é dificultosa, o que o torna tão eficaz, além disso ainda não se sabe como e nem o quanto este vírus é capaz de afetar as máquinas infectadas.