Publicado em: quarta-feira, 20/06/2012

Empresa de energia solar quer abrir mais de 5 mil lojas no Brasil até 2017

A empresa chinesa Himin, que se destaca como uma das maiores empresas quando o assunto é aquecedor solar para água, quer abrir em cinco anos pelo menos 5 mil lojas no Brasil. Esse número corresponderia a 10% do número de lojas que a empresa pretende abrir no mundo todo: 50 mil.

Nas lojas, que são chamadas de ‘climate marts’, os consumidores poderão encontrar equipamentos como ar condicionado e aquecedores, além de produtos como brinquedos, rádios e luminárias, todos eles movidos a energia solar.

Mesmo considerando nosso país como um bom mercado para esse tipo de produto, a empresa chinesa não tem ainda nenhum plano de instalar uma fábrica em território brasileiro.

De acordo com o presidente da Himin, Huang Ming, a empresa acredita que essa seja uma das melhores maneiras de aproximar a energia solar dos consumidores. Dessa forma, eles esperam que o uso da energia solar como uma alternativa a energia convencional seja ampliada.

Huang Ming é um dos empresários que participaram do evento Rio +20, que será encerrado nesta sexta-feira (22). Ele disse que o evento solicita que os países e os setores da economia mundial reduzam as emissões, mas que é preciso que sejam criadas promessas reais, que possam ser praticadas de fato.

Essa é a primeira vez que o presidente da Himin visitou o Brasil e aproveitou a oportunidade para se encontrar com empresários daqui. Huang Ming é o responsável pela idealização do Solar Valley, na China, que é uma base de energia solar considerada a maior do mundo. Ela funciona como uma cidade e tem em seu território fábricas, centros de pesquisas e convenções, além de hotéis.

O projeto desenvolvido por Huang recebeu mais de 1 bilhão de dólares de investimento e se norteia pelos conceitos de eficiência energética e a aplicação de fontes alternativas na geração de energia.