Publicado em: quarta-feira, 27/06/2012

Empresa contratada para obras do PAC que apresentar irregularidades será substituída, diz ministra

Segundo Miriam Belchior, ministra do Planejamento, caso o governo federal, mais especificamente o Ministério do Planejamento, encontre irregularidades em contratos feitos entre o governo e a empresa Delta Construções a empreiteira será substituída por outra empresa por meio de nova licitação. A empresa foi contratada para a realização de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A ministra disse que a substituição será feita mesmo em condições que essa ação provoque prejuízos, como é o caso dos atrasos no cronograma em função da investigação e licitação de uma nova empresa. A Delta foi considerada inidônea para fazer contratos com o governo pela Controladoria-Geral da União (CGU) por pelo menos os próximos dois anos.

Contratos passaram por avaliação, ressalta ministra do Planejamento

Miriam disse que todos os contratos passarão por análise em cada um dos ministérios responsáveis pelas obras. Caso não haja problemas as obras continuam normalmente, mas se forem encontrados problemas, a Delta será substituída. As declarações da ministra ocorreram logo depois de sua participação na cerimônia em que foram anunciadas as novas comprar governamentais. O evento ocorreu no Palácio do Planalto.

Ao ser questionada sobre a paralisação nas obras em casos de irregularidades até que outra empresa possa fazer a substituição, a ministra respondeu que este é o preço que será pago pelos problemas. No entanto ela ressaltou que os contratos ainda serão analisados e espera-se que as obras não sofram atraso em função disso. A CGU abriu processo contra a Delta para estudar as irregularidades nos contratos. A operação Mão dupla, realizada em parceria entre Polícia Federal e o Ministério Público detectou que a empresa participava de esquemas considerados ilegais.