Publicado em: segunda-feira, 19/03/2012

Embrapa faz projeto de agricultura sustentável e quer inserir pequenos produtores

A Embrapa tem um grande desafio de incluir em seus projetos os pequenos agricultores, principalmente naqueles referentes à agricultura sustentável. Segundo Pedro Arraes, presidente da Embrapa, o cooperativismo combinado com a ação de agentes públicos e privado pode viabilizar projetos em pequenas propriedades que precisam de investimento e colaboração para melhorar os rendimentos das famílias rurais.

Em função dos problemas ambientais dos últimos 40 anos no país o governo vem elaborando projetos socioambientais e implantando metas e estratégias para melhorar a agricultura e, ao mesmo tempo, não prejudicar o meio ambiente. Em função dos projetos implementados pela Embrapa é possível que a própria agricultura colabore para atingir as metas do governo na área ambiental.

Brasil quer diminuir emissões de gases de efeito estufa

Uma das mais importantes metas que o país possui neste momento é diminuir as emissões de gases de efeito estufa. A meta foi amplamente discutida na 15ª Conferência do Clima (Cop15) e o Brasil se propôs a diminuir a emissão de gás carbônico entre 36% a 38% até 2020. Estima-se que seria 1 bilhão de toneladas a menos do gás nocivo no ar.
O grande problema é fazer com que todos contribuam para melhorar o cenário brasileiro e no setor agrícola isso aparece em destaque, pois, enquanto os grandes agricultores têm facilidade, por meio das tecnologias, os pequenos agricultores vêm essas metas como um grande desafio muito difícil de ser colocado em prática.

O grande problema em muitos casos é que para implantar projetos sustentáveis é necessário investimento para adquirir máquinas e melhorar os procedimentos. Como na agricultura familiar a renda é menor do que na agricultura de grande porte, a Embrapa apresenta projetos que são direcionados às pequenas propriedades. São feitos estudos para observar a realidade e pensar projetos fáceis e econômicos para serem implantados.
Trata-se, por exemplo, de projetos na área de fruticultura, como o “Quintais do Sul” e o “Centro de Pesca e Aqüicultura”, na área da criação de alevinos. Os procedimentos implantados com os projetos não têm custo alto e podem ser usados pelos produtores da agricultura familiar.