Publicado em: segunda-feira, 22/08/2011

Embaixador egípcio em Israel será retirado em protesto aos ataques na Península do Sinai

O governo do Egito divulgou que vai retirar o seu embaixador de Israel em protesto ao ataque aéreo realizado pelas forças de segurança israeleneses na Faixa de Gaza que aconteceu nesta quinta-feira (18). A informação foi veiculada neste sábado (20) pela emissora de televisão egípcia. A região onde os ataques aconteceram fica na fronteira entre os dois países, na Península do Sinai. Após reconhecerem o ataque aéreo, o governo israelense declarou que “foi um erro”.

De acordo com as informações divulgadas, o avião estaria perseguindo dois supostos criminosos e disparou contra integrantes das forças de segurança egípcias. Com isso, três oficiais morreram e outro ficou ferido. Além de decidirem retirar o embaixador, o governo egípcio exigiu que Israel apresentasse um pedido de desculpas oficial. Ainda, o Egito pede que dê início a um processo de investigação para apurar as causas do ataque. Na sequência, o governo egípcio exige que os responsáveis recebam as penalidades adequadas para que sejam garantidos os direitos das vítimas egípcias.

Durante o pronunciamento transmitido pela televisão do país, o governo egípcio ressaltou que tem condições de manter a segurança do seu povo na região da fronteira entre os dois países. Porém, o comunicado lembra que “a proteção das fronteiras egípcio-israelenses é responsabilidade de ambas as partes, não só do Egito.”

A região da Península do Sinai estava sob acordo de paz desde 1979, quando um acordo foi assinado entre as duas nações e a ONU. A supervisão da segurança dessa área é garantida pelas três partes envolvidas no acordo.