Publicado em: quarta-feira, 01/02/2012

Em visita a Cuba, Dilma Rousseff diz que todos os países violam direitos humanos

A presidente Dilma Rousseff, durante sua primeira visita oficial a Cuba, afirmou nesta terça-feira (31), que os direitos humanos não devem ser usados como ferramenta de ideologias para criticar determinados países. Ela citou o exemplo de Guantánamo para afirmar que a violação dos direitos humanos acontece em todos os lugares do mundo.

Dilma visita Cuba 11 dias depois da morte de um dos opositores do governo cubano, Wilman Villar, que não suportou a greve de fome que decidiu fazer como forma de protesto por sua condenação a quatro anos de prisão. O governo de Cuba se defende das acusações de ter violado os direitos humanos, dizendo que Villar havia sido preso por ter batido em sua esposa, afirmando ainda que o preso recebeu o tratamento médico necessário enquanto esteve preso.

Durante entrevista coletiva, a presidente foi questionada sobre a intenção de Yoani Sánchez, famosa blogueira cubana, de ir ao Brasil. Dilma afirmou que o visto para que ela entre no Brasil já foi concedido e agora ele deve conseguir a permissão de Cuba para poder viajar. Yoani é uma das maiores críticas ao governo e pretende visitar o Brasil para participar do lançamento de um documentário sobre a liberdade de expressão em seu país, do qual ela mesma participou.

Dilma ainda afirmou que um dos maiores objetivos de sua visita ao país é aumentar as relações econômicas e de cooperação entre as duas nações. No ano passado, o Ministério do Desenvolvimento afirmou que o intercâmbio comercial entre Brasil e Cuba chegou a um valor recorde de US$642 milhões, um aumento de 31% na comparação com 2010.