Publicado em: quarta-feira, 26/02/2014

Em sessão comemorativa aos 20 anos do Plano Real, FHC afirma que há uma “fadiga material” no PT

FHC afirma que há uma “fadiga material” no PTEm comemoração aos 20 anos do Plano Real, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), foi o principal homenageado em uma sessão solene no Congresso Nacional que aconteceu ontem, terça-feira (25), na sessão ele disse há uma “fadiga mental” no PT, mas se justificou dizendo não poder afirmar que o governo não tem controle sobre a inflação. Ele continua dizendo em seu discurso, que depois de um certo momento, há uma fadiga mental, alega ter sofrido dessa fadiga quando estava no governo, mas agora ela mudou, e sua fadiga é de material. O país é um país novo, precisa de aeração e de sentir ventos novos, conclui sua defesa ao senador e pré-candidato à Presidência da República, Aécio Neves.

Quando foi interrogado sobre sua preocupação em relação ao rumo que a economia está tomando, ele declara que se preocupa, mas não pode ser injusto, antes eram 20%, 30% de aumento na inflação ao mês. Em comparação, agora são 6% ao ano. Na mesma cerimônia, Aécio Neves também deu sua palavra sobre a estabilidade econômica do país e criticou o PT, dizendo que o partido, mergulhou o país na ‘desesperança’. Ao ouvir isso, o líder da bancada petista que estava no local, Humberto Costa (PE), rebateu dizendo que, a desesperança acontecia quando o desemprego tinha taxas de dois dígitos, a inflação era muito alta e o dólar também tinha sua cotação mais alta de todos os tempos.

Andando na contramão

Mesmo após Fernando Henrique ter afirmado que não seria injusto, ele não deixa de destacar que o país está em um ‘compasso diferente’ de toda a economia mundial. O ex-presidente completa dizendo ainda que, a política é considerada como uma navegação, nunca está igual e a cada momento você tem que perceber o que deve ser feito, porém há alguns ajustes a ser feitos, para que não saiam do eixo e não se perca o controle. No presente momento, comparada a economia mundial, o Brasil está andando em um compasso diferente e isto preciso ser ajustado.