Publicado em: terça-feira, 13/03/2012

Eliza Samudio: advogado deixa a defesa de Macarrão sem explicar motivo

O advogado Wasley César de Vasconcelos comunicou no início da tarde desta segunda-feira (12) que abandonou a defesa de Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, no caso do desaparecimento e morte de Eliza Samudio. Antes de declarar a sua decisão, ele havia garantido acreditar na inocência de Macarrão e que abandonaria o cargo caso o seu cliente resolvesse participar de alguma negociação para proteger o goleiro Bruno Fernandes, com quem a vítima tinha um filho.

“Quero saber quem esteve com ele [Luiz Henrique] no presídio nos últimos dias. Eu não admito a possibilidade de ele assumir um crime para livrar o Bruno. Se eu perceber que isso aconteceu, eu renuncio na hora”, afirmou o advogado, que não explicou o motivo da sua renúncia. Além disso, ela falou que por não defender mais o caso, está proibido de falar em nome do ex-cliente, assim como comentar sobre o assunto.

O advogado Leonardo Diniz é o novo defensor de Macarrão. Ele já afirmou que nada irá ser antecipado antes do tribunal e não revelou qual será a nova estratégia da defesa. O processo de negociação para a troca de advogados teria começado em fevereiro a pedido do próprio Macarrão.

No domingo (11), Rui Caldas Pimenta, advogado de defesa de Bruno, informou que no julgamento irá admitir o assassinato de Eliza. De acordo com ele, a tese de que “sem corpo não há materialidade” já está superada. Até então, todos os defensores do ex-atleta do Flamengo sustentavam que a jovem estava viva, pois seu corpo nunca foi localizado. O advogado também contou que a decisão de matar Eliza partiu de Macarrão.

Segundo a defesa de Bruno, a orientação era de que o amigo do goleiro apenas levasse Eliza para a rodoviária de Belo Horizonte para que ela voltasse para São Paulo. O goleiro teria entregado R$ 30 mil para que ela fizesse a viagem, porém Macarrão teria descumprido o combinado e matado Eliza.