Publicado em: sexta-feira, 29/08/2014

Eduardo Jorge diz que se for eleito pretende acabar com o salário dos vereadores

Eduardo Jorge diz que se for eleito pretende acabar com o salário dos vereadoresNa última quarta-feira (27), o candidato do PV (Partido verde) à Presidência da República, Eduardo Jorge disse durante a entrevista ao vivo ao G1, que se for eleito, irá propor um projeto para acabar com o salário dos vereadores em todo o país. Para o candidato, essa medida poderia dar a possibilidade de aumentar o número de vereadores nos municípios, e acontecendo isso, iria fortalecer a democracia representativa. O presidenciável ressalta que como se quer tornar o município foco da vida política administrativa, porque é lá que as pessoas têm maior participação, então, ele pressupõe que descendo mais aos municípios estaria tirando o salário dos vereadores. Segundo Jorge, o vereador será uma função de relevância pública, assim como em muitos países, fazendo isso, será possível aumentar o número de vereadores e assim, aumentar a democracia representativa.

Por mais ou menos, 45 minutos, Jorge respondeu todas as perguntas que foram enviadas por internautas e pelo portal, em três blocos, o debate foi apresentado pelos jornalistas Tonico Ferreira, da TV Globo, e Nathalia Passarinho, do G1. A ordem em que os candidatos foram entrevistados aconteceu por meio de sorteio com os representantes dos partidos de todos os candidatos.

Política X População

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, foi sorteada para o primeiro dia da série de entrevistas (dia 28 de julho), não pode comparecer por problemas na agenda, de acordo com sua assessoria do Palácio do Planalto. Além de Jorge, também foram entrevistados Zé Maria (PSTU), Aécio Neves (PSDB), Mauro Iasi (PSB), Eduardo Campos (PSB), Rui Costa Pimenta (PCO), Levy Fidelix (PRTB) e Eymael (PSDC). O entrevistado da vez, disse que a proposta de mudança na função de vereador é uma forma dos políticos ficarem mais próximos da população. Eduardo Jorge destacou ainda que, se preocupa com o desprestígio que há entre a política e a população.