Publicado em: sexta-feira, 11/04/2014

Eduardo Alves nega recurso do PT para que o caso de Vargas seja analisado

Eduardo Alves nega recurso do PT para que o caso de Vargas seja analisadoNessa quinta-feira (10), o presidente da Câmara, o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), negou o recurso que foi solicitado pelo PT para que o caso André Vargas fosse averiguado com maior cautela.

Na última quarta, em meio a uma reunião do Conselho de Ética, o deputado Zé Geraldo (PT-PA) apresentou o recurso para abrir processo contra o peemedebista. Entretanto, antes de qualquer medida, o conselho decidiu verificar o processo e apurar se realmente Vargas quebrou o decoro parlamentar em sua relação com o doleiro Alberto Youssef, que foi preso em março desse ano pela Polícia Federal, acusado de liderar um esquema de lavagem de dinheiro, que teria desviado em média R$10 bilhões.

Logo após o início do processo no conselho, o deputado surpreendeu a todos renunciando ao seu cargo de vice-presidente na Câmara, ele conta que foi com o objetivo de ‘concentrar’ sua defesa e preservar a imagem da Câmara, do PT e dos colegas deputados.

Ele também afirma que tudo foi examinado com muito cuidado e isenção, mas por outras questões foi decidido recursar o recurso. “O Conselho de Ética tem caminho próprio, instrumento próprio. A Corregedoria é outro caminho e outro instrumento. São matérias distintas e, portanto, indeferi o recurso apresentado”, completa.

Carta

Um pouco antes da sessão, o presidente da Câmara disse que está aguardando o PT anunciar a indicação para o nome que será o sucessor de Vargas na vice-presidência da Casa, então afirma que irá esperar a eleição que deverá acontecer ainda esse mês.

O peemedebista está de licença do mandato por um período de 60 dias, uma carta solicitando seu afastamento, foi entregue à Secretaria-Geral da Câmara no último dia 7, alegou na carta que o se tratava de “interesse particular”, durante esse período que ele está afastado, não terá direito de receber salário da Câmara.