Publicado em: quinta-feira, 04/08/2011

Economia brasileira mostra sinais de superaquecimento, segundo FMI

Embora as perspectivas para a economia brasileira serem positivas, ela apresenta sinais de superaquecimento, segundo avaliou o Fundo Monetário Internacional (FMI), que pede mais medidas, principalmente fiscais e no crédito, para lidar com os possíveis riscos.

O relatório anual sobre o Brasil foi divulgado nessa quarta-feira (3). O FMI mantém a sua previsão de crescimento econômico em 4,1% para este ano. O organismo estima uma inflamação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 6,3%. “A diretoria executiva congratulou as autoridades pela gestão macroeconômica saudável e o sólido arcabouço de política econômica… Os diretores concordam que, embora a perspectiva continue em geral favorável, existem sinais de superaquecimento”, disse o organismo.

Para o FMI, as medidas que estão sendo adotadas pelo governo para desacelerar o setor já tiveram efeito, porém, ressaltou que a aplicação precisa ser “mais extensa pata quem ganhem tração”.

O Banco Central tem atuada com a elevação da taxa de juros deste o início do aluno, e mesmo com o governo ter tomado medidas para encerar o crédito à pessoa física e elevar o depósito compulsório nos ambos. Os esforços buscam conter a inflação, que para 2011, deve ficar próxima do teta da meta, que é 6,5%. Já as expectativas para 2012, estão acima do centro da meta, em 4,5%.