Publicado em: quinta-feira, 19/01/2012

Eastman Kodak, pioneira no processo fotográfico, entra com pedido de concordata em Nova York

De acordo com reportagem do The Wall Street Journal, a Eastman Kodakm, na manhã desta quinta-feira (19), pediu concordata, depois que fracassou na tentativa de conseguir capital para financiar uma possível recuperação financeira. Em comunicado oficial, a empresa, pioneira no setor da fotografia, informou que estava entrando com pedido de “proteção ao Capítulo 11 da Lei de Falências dos Estados Unidos”.

A Kodak luta há vários anos para enfrentar a concorrência no mercado de fotografias, concorrência essa que ficou ainda mais acirrada com o surgimento das tecnologias digitais. A empresa, que possui 131 anos, ainda tentou uma última cartada, tentando entrar no ramo da venda de impressoras. Porém, o negócio acabou saindo caro, por causa da queda nas vendas dos filmes fotográficos e aos problemas para pagar funcionários aposentados.

O espanhol Antonio Perez, que assumiu a função de executivo-chefe da Kodak em 2005, agora possui um fracasso em seu currículo. Desde que havia entrado na Hewlett-Packard Co., há 25 anos, ele foi um dos responsáveis por ajudar a empresa a atingir mais de US$ 7 bilhões em valor de mercado. Porém, com a Kodak, não conseguiu repetir a façanha.

O pedido de concordata preocupa os mais de 19 mil funcionários da empresa, além de também oferecer riscos aos trabalhadores aposentados já que, dessa forma, a empresa poderia tentar se eximir das responsabilidades e obrigações nos pagamentos de assistência médica e pensões, no tribunal.