Publicado em: sexta-feira, 30/03/2012

Dólar termina a sessão estável em dia sem leilão do BC

Depois da interferência do Banco Central na quarta-feira (28), ontem o dólar terminou a sessão estável em relação ao real. Durante a maior parte do dia, apresentou altas significativas, mas depois voltou a cair e ficou próximo do valor fechado no dia anterior. O mercado estava em dúvida se o Banco Central iria fazer alguma intervenção e comprar dólares por meio de leilões. A oscilação do dia foi de 0,04%, sendo cotado a R$ 1,827. Ao longo da sessão, a variação foi de R$ 1,822 até R$ 1,837. O cenário de ontem era de maior aversão depois dos dados divulgados sobre os Estados Unidos e Europa que ficaram abaixo do esperado pelos analistas de mercado.

Segundo o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo, na quarta-feira o Banco Central interferiu no mercado e o dólar estava custando R$ 1,82. Ele acredita que o mercado vai testando e tentando observar se o BC vai ou não entrar em ação mais uma vez. Na quarta-feira, a entidade monetária fez um leilão mesmo com o dólar em alta. Para que as ações não fiquem muito previsíveis, o BC vem atuando de maneira menos garantida para não viciar o mercado. Para o gerente de câmbio, as atuações do Banco Central, somadas as medidas tomadas pelo governo para conter a desvalorização da moeda americana, tem feito com que no Brasil, a valorização da moeda caminhe de maneira diferente do que no cenário externo.

Segundo o analista, o mercado está prestando atenção nas ações do governo e do Banco para não ser pego de surpresa. Para um outro operador de cambio, o BC mostra com suas intervenções que não quer ver o dólar abaixo de R$ 1,80.

Todas as ações da entidade monetária demonstram atitudes em momentos que a moeda americana chegava próximo desse limite. Sobre os dados do exterior que influenciaram os resultados da moeda, trata-se dos dados sobre o desemprego nos EUA. As informações ficaram abaixo das expectativas e mostraram piora no cenário econômico do país. Ao mesmo tempo, a melhora da indústria na Europa também não apresentou bons resultados.