Publicado em: segunda-feira, 03/06/2013

Dólar registra o valor mais alto desde meados de 2009

Dólar registra o valor mais alto desde meados de 2009Na sexta-feira, dia 31, o dia terminou com o dólar em alta, resultado do quinto pregão que aconteceu consecutivamente. Isso significa que esta foi a cotação mais alta ao longo últimos 4 anos, mesmo após a primeira interferência do Banco Central depois do fim do mês de março. O dólar terminou o pregão mensal com acréscimo de 1,36%, correspondendo a R$ 2,1424 para a venda, valor que não era verificado desde o dia cinco de maio do ano 2009, ocasião em que valia R$ 2,149, em um momento em que o mundo passava por uma grande depressão financeira.

Agora, a moeda dos Estados Unidos terminou maio valorizado em 7,04%. Este foi o maior índice de aumento mensal desde o mês de setembro de 2011, ocasião em que a alta foi de 18,15%. No que diz respeito ao valor acumulado ao longo dos cinco meses de 2013, a alta do dólar foi de 4,78%.

Leilão

Depois que o Banco Central anunciou, nesta sexta-feira, a realização de um leilão de swap do câmbio tradicional – o que significa a comercialização da moeda no mercado que representa o futuro – o dólar chegou a ter o valor desacelerado a R$ 1,1189 para venda, porém, logo depois já ganhou mais força.

Analistas apontam que a tentativa do Banco Central foi frear o movimento de especulação que teve impulsão devido à instauração de Ptax, no entanto, ainda é cedo e difícil compreender dual teto teria a moeda dos Estados Unidos.

O BC chegou a vender 17, 6 mil contratos, de um total de trinta mil ofertados, o que representou uma soma de US$ 876,7 milhões, o que representa 59% do total do volume oferecido. E, todos os mercados do mundo estão começando a reagir diante da possibilidade do Federal Reserve, que é a espécie de BC dos Estados Unidos, reduzir dentro de pouco tempo o incentivo monetário em meio aos indícios da recuperação do que se considera a maior e ais importante economia existente no mundo. Se esta decisão for tomada poderia causar a diminuição do dólar ofertado no mundo, o que causaria uma pressão para o alto de cotação da moeda. Esta estimativo ficou mais forte na sexta-feira, porque foi divulgada aumento do nível da confiança que o consumidor dos Estados tem.