Publicado em: sexta-feira, 01/06/2012

Dólar obteve aumento de 5,79% frente ao real em maio

Mais uma vez o dólar fechou a sessão em alta ante o real. A moeda norte-americana acompanhou o cenário externo e somente no mês de maio teve valorização de 5,79%. Em maio a moeda também voltou aos três reais, resultado da piora do cenário internacional e de especulações no mercado brasileiro. Este já foi o terceiro mês seguido em que o dólar apresenta alta frente ao real. Somente entre março e maio a valorização foi de 17,30%. No ano acúmulo já chega a 7,97%. Economistas dizem que ainda há possibilidade de nova alta do dólar em junho em função dos problemas no exterior, principalmente a crise européia. Ontem a moeda fechou o dia com valorização de 0,10%, cotada a R$ 2,01.

BC volta a interferir somente quando o dólar passar de R$ 2,05, diz estrategista

Mesmo com a ação do Banco Central para conter a alta e a especulação, a moeda americana continuou aumentando no mês de maio. Na última semana, quando o dólar chegou a R$ 2,08 o Banco Central interferiu de forma mais contundente por meio de leilões de swap cambial tradicional. Essa medida equivale a venda de dólares no mercado futuro. Segundo Diego Donadio, estrategista para América Latina do banco BNP Paribas, o Banco só voltará a atuar com uma alta mais efetiva, acima de R$ 2,05. Enquanto isso o real seguirá o mercado externo, mantendo a depreciação. Donadio acrescentou ainda que a moeda pode ficar entre R$ 2 e R$ 2,05 nas próximas semanas. Ele acredita que esse é o teto da moeda e caso haja um aumento acima disso, o BC volta a atuar. O objetivo do BC também é evitar uma valorização excessiva. Na semana passada, com os leilões de swap cambial, o BC conseguiu fazer com que a moeda ficasse abaixo de R$ 2.